Guria de peso.

Archive for the ‘Textos’ Category

Passamos bons anos juntos e assim correram os nossos dias, eu me perdia em seu corpo mas acabei me perdendo por aí, talvez cansada de tudo. Ironia do destino né? De repente me cansei de você, da nossa rotina, da nossa vida e hoje eu sinto falta de te chamar pra vir dormir, falta de acordar mansinho pra tentar não te acordar, falta do teu corpo ao meu lado, do amor que me envadia. Mas o amor não acabou, acabou apenas a NOSSA vida. Eu continuo te amando, é assim pelas músicas que ouço, os livros, os seriados e até nos perfumes pela rua. E eu sigo me perdendo em outros corpos, experimentando tudo de novo que a vida proporciona, enfim… O ano inicia e a certeza que nossos corpos não se encaixam, o ano inicia e me limpa dos fluídos que tinha um pouco de você, é como se o ‘nós’ ficasse para um mundo distante, é como se eu não lembrasse mais de como era o seu sexo, o teu gosto e a tua inteligência tão fascinante. Um pedaço de mim está aos cacos, luto todos os dias pra te apagar de mim, para que pares de ocupar espaço em meu pensamento, para que te mudes para bem longe onde seja impossível aquele encontro inesperado acompanhado da pessoa que ocupa o meu lugar.
Pra quê toda essa merda? De nada adiantaria a gente tentar voltar no tempo e viver todo esse mimimi, a gente já tentou, a gente se esgotou, já não somos os mesmos, teu corpo mudou, o pensamento também, eu amadureci o suficiente pra continuar te deixando em paz e você… sempre me presenteando com o seu silêncio oportuno. Obrigada por tudo o que você não foi em 2013, e mais do que tudo, obrigada por ter ficado por lá.
A vontade de te esperar bater em minha porta teimava em me deixar inerte, a raiva por tua não chegada me fez andar por aí, me fez colorir minha dor, e eu adoro isso, fingir estar como não estou, eu adoro demostrar o que sinto mesmo quando não sinto nada, falando nisso até encontrei um,dois na verdade três caras que fizeram o meu coração dar uma pulsada, mas eles eram tão idiotas que não sustentaram os batimentos por mais de um mês. Aí eu vi toda a bosta que eu teimava em mascarar, era a droga do amor por você que ainda não foi embora, tô pensando que ele pode sair no suor, ou quem sabe se eu cortar o cabelo ainda mais, será aquela gordura que você apertou que derreteu, a mecha de cabelo que você puxava que já não existe mais, talvez até mudar o armário resolva, aí eu me olho no espelho e percebo que nada daquilo existe mais, o amor estava dentro da dindi menininha, que usava cabelo preto e longo, que era sensível e se deixava levar. Mas olha só que coisa linda, pareço uma dependente química em fase de desintoxicação, e é mesmo! Quero me livrar de toda a droga que é te amar.

 

 

Anúncios

Vocês percebem a oscilação dos posts né? Eu sou intensa em tudo que vivo, em tempos quero ser rodeada de amigos, baladas, bebidas, já em outros quero um casulo, ficar ali como uma pérola dentro de uma ostra, é querer muito pedir para me acompanhar? Talvez sim. As vezes desabafo com as entrelinhas, me sinto aliviada, só de escrever e apagar, alguns textos eu salvava com senha para ninguém ler, tinha vergonha de demonstrar os meus sentimentos, mas eles insistiam em transbordar, não adianta fingir sou transparente em tudo que sinto. Por muito tempo pensava que era um defeito imenso jogar na cara das pessoas o que eu não julgava certo, mas queria que fizessem isso comigo, queria que a cada momento tivesse alguém pra me recriminar, pra tentar me mostrar o caminho certo se é que ele existe. Hoje sofro muito com isso, de não saber lidar com criticas e nem com derrotas, sofro por antecipação cada vez que vou enfrentar um obstáculo, e é isso que vem acontecendo, Junho será o mês das mudanças para MELHOR, mas com isso me entupo de dúvidas e incertezas recheadas de uma futura realização pessoal, é tempo de ficar sozinha, no casulo, espero que entendam, o blog continua, mas não no ritmo de antes. Encontrei nos meus arquivos este parágrafo que escrevi que consegue transcrever tudo que penso :

Eu sei que extremo já é um absurdo, pior ainda é excesso de extremos, mas infelizmente comigo é assim! Fato porque simplesmente gostaria de dosar as coisas, de possuir rédeas, e controlar os sentimentos bem como os desejos. Temos posse sobre tantas coisas, mas não conseguimos nos auto dominar, é como se dentro de nós existisse um outro ser que fica ali, te exigindo algo tão forte que acabamos sedendo mesmo contra vontade. Os dias passam, novos desejos e sentimentos são criados em cima daquilo que sem querer sedemos, novos conflitos principalmente existenciais, todos os dias eles são renovados, mais conflitos, desejos proíbidos, lá se vai o dominío e sua vida se transforma completamente, sem domínio e auto controle, personalidade varia constante, as opções e diversidade de amigos te perturbam, junta um pouco de cada, quer mais veneno, quer mais doce, mas no fundo quer se isolar totalmente, viver seu mundinho de fantasias, é mais prático, mais confortável, mais acolhedor. O que sobra, é excessos do que há de ruim juntamente com excesso do que existe de bom.

 

 

 

Como o nome do post já entrega… ontem fui na minha 4ª consulta com a psiquiatra, vocês entendem que tudo é um lento processo, e eu mais do que nunca procuro rápidos resultados. Comentei com ela que estou fazendo dieta, e o quão dificil vem sendo esses dias, inclusive sobre o blog e sobre as palavras de carinho e apoio que venho recebendo de vocês (obrigadaa). Ela por sua vez me interrompeu e disse que quando eu falo que não posso comer doces e carboidratos meus olhos mudam, como se eu estivesse em um sofrimento sem tamanho (mas de fato é) e me induziu a mudar de opinião sobre o assunto. Sou casada, e ela relacionou a comida com as outras pessoas, como exemplo me colocou andando na rua e sentindo atração por outra pessoa cuja sou retribuída, como reajo perante a isso? Ignoro o fato é óbvio, nem cogito a hipótese de cair em tentação, e aí ela perguntou… então por quê isso não pode ser relacionado com as comidas que no momento tu não pode disfrutar? Tu olha, acha gostoso mas sabe que não pode pois vai ser coisa de momento, tu vai lá pega (come) dá uma sensação gostosa, passa, fica arrependida e perde o namorado (ou o objetivo de emagrecer). Me senti idiota de não ter pensado nisso. A mesma coisa funciona no namoro, mas eu não sofro por não poder ficar com outras pessoas, muito pelo contrário. Então vai ser assim, eu vou mudar minha visão, pensamentos e frisar no meu objetivo.

Estou muito contente com o apoio que venho recebendo, as palavras de vocês com certeza é um estímulo enorme, agora vou seguir a dieta pensando em nós, assumo esse compromisso!!

Mudança de hábito é coisa pra gente persistente. Assim começo o post de hoje.

Minha rotina era : acordar e ir trabalhar de estômago vazio, almoçar bem incluindo sobremesa e refrigerantes, chegar em casa e comer um pacote de bolacha recheada e jantar uma pizza ( ou lasanha). Ás vezes substituía por uma massa com molho vermelho e bastante queijo (suspiros). Complicado ficar na ricota e pão preto, complicado comer de 3 em 3 horas. Mas tenho me sentido bem, apesar de serem apenas 4 dias de vida saudável, 4 dias que parecem meses. Tô motivada e triste, quem é gordo sabe que comer é um prazer e não só necessidade, é muito dificil cortar um prazer, experimente ficar sem sexo, pronto me entende agora? Meus dias parecem longos, tudo ao meu redor parece punição. Nada do que eu posso comer me satisfaz emocionalmente, eu sinto tesão sim em comer uma barra de chocolate, só que agora eu não posso. É como se eu tivesse um desejo sexual intenso por uma pessoa e não pudesse saciar. E é aí que a tentação fica cada vez mais grave, é o não poder que atiça todas as vontades, e não sei vocês mas eu não me contento em não poder, eu busco um por quê razão ou circunstância de não possuir o meu “objeto” de desejo. Aí paro, reflito, respiro e inspiro, choro, me escabelo e penso no meu objetivo. Eu quero emagrecer, e como nada caí do céu eu preciso desse sofrimento, mas o sofrimento é bom quando sabemos que um dia ele irá acabar, que um dia irei subir na balança e finalmente ela será minha amiga, que todas as roupas de vitrines estarão ali sorrindo para mim. Que um dia eu me olharei no espelho e ficarei feliz com as curvas que conquistei. Quando tudo é sofrido, quando precisamos relutar contra nós mesmos, iremos nos orgulhar, sei que um dia terei orgulho de mim, de ter resistido as tentações, de ter focado no meu objetivo, mas por enquanto, tá sendo muito difícil.


Atualizações Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.